Os melhores sets de música eletrônica do Lollapalooza BR 2018

Cat Dealers

Artigo por Matheus Tavares

Entre os dias 24 e 26 de março de 2018 aconteceu o Lollapalooza Brasil, em São Paulo: o festival híbrido de rock, rap e r&b mais adorado pelos fãs da música eletrônica, justamente por conter um ótimo palco totalmente dedicado ao estilo, o Perry’s.

Desde 2012 (ano da primeira edição do Lolla no Brasil) a música eletrônica vem ganhando força dentro do festival, seja pela popularização do gênero no Brasil ou pela força cada vez maior dos artistas eletrônicos brasileiros frente ao mercado.

Em 2012, apenas 10% do line up era composto por artistas eletrônicos; neste ano a música eletrônica já representa 38% do line up completo.

Todo ano a curadoria do Lolla BR inova ao trazer atrações inéditas e que nunca viriam ao país em outras circunstâncias. Além de raramente repetir artistas no line, a organização também acerta em trazer tanto nomes que estão em alta no momento como consagrados.

O line up eletrônico contou com uma mistura interessante entre DJs gringos da bass music, house e EDM e alguns dos principais nomes brazucas como Alok, Cat Dealers e FTampa.

Nesses três dias de farra, tanto eu, como muita gente, praticamente fincou sua bandeira no palco Perry’s, saindo apenas para ver Kygo e Tropkillaz – os únicos projetos eletrônicos que se apresentaram em outros palcos.

Foto: Fabio Tito

E para nossa alegria (com exceção de um ou outro #fail) o nível dos sets ficou lá no alto, sendo difícil pra galera eleger as melhores apresentações eletrônicas do festival.

Difícil mas não impossível: reuni aqui os sets que vocês não podem deixar de assistir/ouvir. Aqueles que, ao me ver, entregaram mais do que o esperado e assim, surpreenderam.

DICA: quem for assinante do Multishow pode assistir a todos os sets na integra lá no serviço deles, o Multishow Play. Mas corre que eles estarão disponíveis só até domingo!


DILLON FRANCIS

Dillon estava inspirado nessa noite. Abrindo pro Hardwell e pegando uma pista lotada, o cara fez um set perfeito do início ao fim, sem fazer o público parar de pular/dançar um só minuto.

Teve de tudo: EDM, trap, dubstep e os drops moombahton ao melhor estilo Dillon Francis. Teve até MC Loma (risos) e encerramento com “Vai Malandra” da Anitta. O destaque vai para suas bombas autorais “Need You“, “Not Butter“, “Masta Blasta 2.0“, “Get Low” e o remix de “Mi Gente“.


CAT DEALERS

Foto: Beto Garcia

Posso afirmar, com toda certeza, de que o show dessa dupla brasileira foi um dos mais lotados dos três dias no Perry’s.

A apresentação dos meninos foi empolgante do início ao fim. Primeiro, ao iniciar com uma versão inédita e especial do hit “Gravity“, ao misturar a música com vocais de Lana Del Rey em “Summertime Sadness“. Tanto essa versão como outras tracks (o ainda não lançado remix de “Ai Ai Ai”, da Vanessa da Mata, o hit “Sunshine” e o vocal de “Locked Out Of Heaven” do Bruno Mars) fizeram o público cantar em alto e bom som praticamente o set todo.

Em meio a esses momentos épicos, Cat Dealers provocava o público em drops dançantes e característicos, levando todos à euforia com uma pitada de prog com o clássico “Great Spirit”, do Vini Vici.


ALISON WONDERLAND

Aterrisando pela primeira vez em terras brasileiras e super em alta lá fora, Alison Wonderland deu uma aula de trap e dubstep. Alternando muitos vocais épicos e drops incríveis em um set “montanha-russa”, o destaque vai para as autorais “Run“, “Happy Face“, “High“, “I Want U” e “U Don’t Know“.

A DJ também entrou na onda do funk tocando “Bum Bum Tam Tam” e MC Bin Laden.


WHAT SO NOT

Chegando ao Brasil após recém-lançar seu novo álbum “Not All The Beautiful Things”, ele fez um set recheado de future bass a lá Flume.

What So Not tacou todos os seus clássicos, em uma apresentação quase 100% autoral, de “Gemini“, ao remix de “Innerbloom“, passando por “Touched” e misturando com os vocais de “Africa“, do Toto.


HARDWELL

Hardwell mostrou pra que veio com um dos sets mais “pesados” do Perry’s, provando que o big f*cking room ainda rende um caldo.

Como de costume Hardwell apresentou um set explosivo com muitos dos seus mashups, usando tracks de artistas como W&W, TJR, VINAI e Blasterjaxx, embalando os maiores hits do electro nos últimos tempos.


JØRD

O querido “Jordinha” já desponta como uma das mais agradáveis surpresas da cena eletrônica no Brasil. Em plena ascensão, JØRD se caracteriza por ter um repertório autoral forte. O menino produz muito!

Então ver um set do JØRD é sempre algo único. É curtir as suas músicas ao melhor do estilo Low Bass. A sua apresentação no Lolla foi com certeza a mais importante de sua carreira e uma das mais emocionantes. Isso foi concretizado em momentos quando ele tocou seu remix para a trilha da série La Casa De Papel, “My Life is Going On” e os remixes de “Human” e “Losing“, produzido com Vintage Culture.


DEORRO

Deorro nos transportou de volta para o auge da EDM, tocando clássicos como “Party Rock Anthem”, “Levels”, “Don’t You Worry Child”, “Wakanda”, “Booyah” e “Heads Will Roll”, juntamente com as bombas do melbourne bounce.

Resumindo: um set saudosista e emocionante para todos os fãs da fase áurea do EDM.


Qual foi o seu set favorito no Lollapalloza BR 2018? Comente abaixo.